A saliva é um importante fluido do corpo, produzido pelas glândulas salivares parótidas, submandibulares e sublinguais e pelas glândulas bucais menores. Ela tem várias funções, como lubrificar e ajudar na digestão de alimentos, mas existem outras que não são muito conhecidas.

Ela possui aspecto aquoso, viscoso e transparente, e é composta por diversas substâncias, cada qual com suas respectivas funções, dentre elas água (mais de 90% de sua composição), ar (que produz a espuma), além das substâncias orgânicas, proteínas e sais minerais, como sódio, potássio, cálcio, cloro, magnésio, ptialina, nitrogênio, enxofre, ácido cítrico e ácido úrico.

Um adulto produz cerca de 1 a 2 litros de saliva por dia, quantidade que aumenta à medida que ingerimos algum alimento.

Possui varias funções importantes:

– Digestiva
– Lubrificante
– Solvente
– Defesa
– Limpeza
– Tamponante
– Remineralizante
– Excretora

A falta de saliva na cavidade bucal pode trazer uma serie de agravos ao paciente. Entre esses agravos destaca se:

HIPOSSIALIA:  Ausência de produção de saliva

XEROSTOMIA:  Sensação de secura na boca

SABURRA LINGUAL:   Forma-se mais na parte posterior da língua, quando há diminuição da produção de saliva e/ou descamação do epitélio da mucosa bucal.

É a maior causa de Halitose.

Em todos a prevalência aumenta com a idade e afeta cerca de 30% da população com 65 anos de idade.

CAUSAS:

– Medicamentosa: Antidepressivos, diuréticos, anti-histamínicos e narcóticos
– Doenças auto-imunes: artrite reumatoide
– Síndrome de Sjӧgren
– Menopausa
– Anorexia nervosa, jejum frequente.
– Diabete melitus (tipo 1)
– Cálculos na Glândula salivar

PRINCIPAIS SINTOMAS:

– Associação com o horário das refeições
– Paladar alterado
– Dificuldade de mastigação e deglutição, principalmente alimentos secos  e em especial sem líquidos para acompanhá-lo.

DOENÇAS RELACIONADAS À SALIVA

HALITOSE

A sensação de boca seca, produzida ao acordar, pode estar relacionada à falta de produção de saliva durante o sono. Este fenômeno é conhecido como halitose, podendo trazer outros fatores combinados, como diabetes e idade avançada.

A doença também causa mau hálito e propensão a cáries, além do incômodo. Para prevenir a halitose é preciso estar em dia com a higiene bucal, não esquecendo de passar diariamente o fio dental.

GRIPE

Muito comum de ser transmitida pela saliva, o vírus influenza é responsável pelo mal-estar, gerando coriza, dores no corpo, dor de cabeça e febre, nos casos mais avançados.

Ela é tratada facilmente com a combinação de uma alimentação nutritiva e medicamentos antitérmicos, mas pode evoluir para quadros mais graves como pneumonia.

CANDIDÍASE OU SAPINHO

Conhecida como “doença do carnaval”, a candidíase se manifesta por meio de “espinhas” brancas na boca e na língua, acompanhadas de vermelhidão e sabor desagradável. Ela é causada por fungos, que criam placas removíveis no corpo.

Para combater a doença, devem ser ingeridos antifúngicos, após exame de médico especializado. Sua prevenção se dá com os cuidados com a gengiva e visitas regulares ao dentista.

CAXUMBA

A doença infecciosa é conhecida pelo inchaço que causa na região do pescoço e orelhas, associada com dores na cabeça e febre. O vírus é transmitido, principalmente, pelo contato de secreções, como a saliva.

Para o combate da doença não há medicamento contra o vírus, mas sim antitérmicos e outros que aliviam a sensação de desconforto. Quando não tratada corretamente, pode evoluir de quadro, gerando complicações nos testículos, ovários e região do ouvido.

HERPES

A herpes também pode atingir a boca, gerando um quadro bastante desagradável, embora tenha manifestações em outras partes do corpo. O vírus HSV é transmitido, principalmente, por meio do contato íntimo ou do contato com secreções de outra pessoa.

Ela aparece quando a imunidade corporal está baixa. Aparecem lesões cutâneas na região da boca, gerando dor e incômodo. Seu aspecto é amarelado, com a formação de pequenas casquinhas, acompanhadas de coceira e ardência.

Assim como a mononucleose, uma vez contaminada a pessoa não pode se curar. As crises são combatidas com a administração de antivirais, demorando de uma a duas semanas para desaparecimento dos sintomas.

MONONUCLEOSE

A mononucleose era conhecida como “doença do beijo”, transmitida pela relação íntima. Causada pelo vírus Epstein-Barr, a doença é incurável e pode permanecer incubado no corpo durante 30 ou 45 dias.

Com sintomas semelhantes aos da gripe, a mononucleose pode causar febre, dor nos gânglios e na garganta. Seu diagnóstico se dá somente com exame laboratorial, por isso, a importância em procurar um médico aos primeiros sinais da doença.

MENINGITE MENINGOCÓCICA

A doença é causada pela bactéria Meningococo, facilmente transmitida pela troca de salivas. Sendo muito perigosa, sua capacidade de contágio aumenta consideravelmente de acordo com o número de parceiros.

O principal sintoma da meningite é a rigidez muscular, principalmente na região da nuca, embora também cause diarréia, vômitos, dor de cabeça e febre. Quando não diagnosticada precocemente, pode trazer complicações sérias ao paciente.

A meningite pode ser prevenida por meio de vacinas. Seu tratamento deve ser feito por uma combinação de medicamentos, assistidos por um médico especialista.

Os antitérmicos podem ajudar a manter a temperatura do corpo, combinadas com repouso e analgésicos, embora não tenha cura.

Além destas doenças podem causar:

– Gengivite
– Infecções bucais por fungos
– Retenção prejudicada de próteses
– Disfagia
– Disgeusia (alteração do paladar)

CUIDADOS PALIATIVOS:

– Aumento do consumo de água
– Melhora da higiene bucal
– Entrar em contato com o médico responsável para saber se há possibilidade de substituição da droga que esta causando o efeito por outra com menores efeitos colaterais
– Deleção de medicação desnecessária.
– Uso de lubrificantes e hidratantes bucais (saliva artificial).

Para não sofrer com a falta de saliva,  é importante ingerir alimentos “detergentes”, como a maçã, pera, kiwi e melancia, que possuem pouco açúcar e um alto teor de fibras. Eles limpam a superfície dos dentes durante a mastigação e as fibras presentes nesses alimentos proporcionam um considerável aumento na produção de saliva. E, nada melhor do que ingerir sempre muita água!

USE UMA ESCOVA QUE AJUDA NA LIMPEZA BUCAL

Apesar da saliva ajudar a limpar e proteger nossos dentes, ela não substitui aquela boa higiene bucal. Escove bem os dentes, use o fio dental, não esqueça de escovar a língua. Dentes e gengivas saudáveis são fundamentais.

 

                      

 

Ainda tem dúvidas, me chame no Whatsapp:

(91) 98152-8805

Foi útil a informação? Seja o primeiro a comentar.